Jorro

R$47,00

(1 avaliação de cliente)

Autor(a): Olavo Villa Couto
Revisor(a): Barata Cichetto
Demais Colaboradores: Poesia: Barata Cichetto
Saiba mais sobre o(a) autor(a): uiclap.bio/baratacichetto

Prazo de produção: até 5 dias úteis
REF: ut8491 Categorias , , ,

Sinopse

Bem, aqui está o “Jorro”, um texto escrito com maestria, sinceridade e emoção por um escritor absolutamente fantástico, que consegue criar um personagem rico, que a tudo justifica com suas mazelas, tal qual o homem do subsolo de Dostoiévski Impressionou-me foi como Olavo, avesso à poesia, complementou quase todos os capítulos, com poemas que não tinham relação direta, mas que no final, parecem conversar com o texto. Afinal, o personagem afirma ser poeta. Seria uma vingança do autor contra a poesia e os poetas? Arquiteto por profissão, OVC, soube construir – ou seria destruir? – um personagem que, apesar de um caráter falho, sofre e busca nos elementos a razão de tudo, e no prazer a “salvação”. Um detalhe importante é que em “Jorro” nenhuma das personagens tem nome. Então, aqui está o Jorro de Olavo Villa Couto. Molhem-se! (Barata Cichetto)
O céu jorrava sobre nossos rostos o produto de seu orgasmo. Relâmpagos, trovões e ventos furiosos faziam a terra estremecer inteira e se sacudir num prazer absoluto e inigualável. Jorro!
As nuvens, como pregas de uma gigantesca buceta celeste, se contorciam despejando aquele líquido morno que nos encharcava de imenso prazer. A Natureza, naquele momento estava tendo um jorro de êxtase e ejaculava abundantemente sobre nós. Squirt!

Informações adicionais

Peso 0.26128 kg
Dimensões 16 × 23 × 0.9 cm
Editora

Nº Páginas

160

Tamanho

Autor(a)

Revisor(a)

Outros Colaboradores

Capa

Brilho, SEM orelha

Impressão

Preto e Branco (Papel Avena / Pólen)

Data da Publicação

22/06/2021

Ranking

1 avaliação para Jorro

  1. genecysouza

    Em “Jorro”, esse forte compilado de aventuras e visões de mundo onde é impossível distinguir um fato fictício do real, Olavo Villa Couto mostra-se (fora a luz) como de fato é: lascivo, cínico, pérfido, sádico, sexista, cético. Para ele, o mundo tem cores predominantemente carregadas, escuras, lúgubres. E, como não poderia deixar de ser, o autor-personagem necessita de um corpo feminino para que sua figura tenha alguma importância, e suas vontades dignas do Marquês de Sade dêem algum sentido à sua (porca) vida. Olavo desafia a razão, a ética e até a fé. Ele é o dono dos próprios descaminhos.
    Olavo Villa Couto, apesar do esgoto moral no qual vive, é um intelectual, filósofo, contista e analisa o mundo e as pessoas sem nenhum verniz e nenhuma concessão.

Faça o login para Avaliar
Jorro thumbnail

Jorro

R$47,00