Oferta!
Ficção  »  AbsurdoFicção  »  Fantasia  »  GeralFicção  »  Ficção Científica  »  Viagem No Tempo

O Homem que Chora Repolhos

,

(1 avaliação de cliente)

R$29,99

Autor(a): Guilherme de Assis Pinto

REF: ut6475 Categorias , ,

Sinopse

O que aconteceria se tivéssemos a oportunidade de acompanhar a criação de um mundo inteirinho através das eras?
E compreender a fundo o que seus criadores sentiram, passaram e aprenderam?
Este livro nos leva a aventurar pela história fantástica de sete irmãos, encarregados por seu pai, Solitudo, a criarem ou gerirem diferentes aspectos da criação.
Não bastando a inexperiência de todos eles, ainda tem um agravante, Hialdabó, o caçula, é encarregado a ser o agente do caos, ele é o Homem que Chora Repolhos.

Informações Adicionais

Editora

Nº Páginas

150

Tamanho

15,9 x 22,9 cm

Autor(a)

Ranking

1 avaliação para O Homem que Chora Repolhos

  1. MRIBEIROPONTES

    Um mundo de sensibilidades, deuses frustrados e repolhos.
    Em o Homem que Chora Repolhos somos apresentado a um panteão de 7 deuses que acabam de chegar em um mundo novo e recebem a tarefa de seu pai, o deus dos deuses Solitudo, uma voz sem corpo que da a seus filhos diversas tarefas com o objetivo maior, o de criar e dar vida a um mundo novo.

    Aqui somos apresentados aos deuses e personagens desta epopeia criacionista: Baapsh, uma deusa com a forma de uma felina de chamas verdes translucidas, Méra, sua irmã gêmea que possui forma idêntica mas com corpo de chamas vermelhas, Pohron, uma sombra transmorfa sem forma fixa que decide por divertimento e comodidade própria imitar a forma felina de seus dois irmãos se tornando um tipo de felino preto pela maior parte desta história, formando um trio de deuses responsável pela morte. Além deste trio temos Veykanor uma serpente azul escura responsável por dar vida e forma as plantas, Parsitis, a deusa responsável pela vida animal com a forma de uma pequena ave, Sturah o primogênito com uma forma humanoide negra responsável pela conexão entre todas as coisas existentes, ao que se entende como o forjador das regras da realidade daquele mundo e o mais excêntrico e caçula de todos os sete, Hialdabó, o homônimo “homem que chora repolhos” um velho barbudo que traja apenas uma camiseta antes de camisetas existirem e uma cueca antes de cuecas existirem sendo o deus responsável pelo caos, tarefa que nem ele e nem mesmo seus irmãos entendem numa obra que pode ser descrita como um romance de formação de deuses, um bildungsroman cósmico.

    Através das 157 paginas (versão em PDF da Amazon) nos vemos de perto as tentativas e aprendizados de cada uma dessas figuras em suas tarefas descobrindo o mundo que eles tem que criar, aprendendo a usar os poderes que eles teoricamente são mestres e fracassando no que deveriam ser suas vitórias. Se eu pudesse eleger um tema central do livro ao menos em meu entendimento é o das frustrações, pois o que mais você acompanhara nestas páginas são os fracassos de tais deuses em suas tarefas, enormes fracassos intervalados com pequenas vitorias com aprendizados, além da luta de cada um com suas emoções, seja a tristeza dos felinos ao trazer mortes para os seres vivos, a frustração de Parsitis com as formas de vida que ela não consegue criar corretamente ou o orgulho de Sturah como favorito sendo quebrado fracasso após fracasso, erro após erro, além de Hialdabó, que aparece e some sem prévio aviso deixando personagens, leitores e o próprio confuso e sem resposta, fazendo o mesmo se sentir amaldiçoado por sem quem é e por chorar bolotas de repolho quando fica triste. E claro, não nos esqueçamos de Augusto o dinossauro, porque ele é notável? Você vai ter que ler pra descobrir.

Adicionar uma avaliação