Oferta!
Ficção  »  Romance  »  Contemporâneo

Piano Bar

,

R$50,91

Autor(a): Nell

REF: ut4435 Categoria

Sinopse

Como se cria uma personagem? As vezes por inspiração em pessoas reais, outras pela simples imaginação, mas sempre dentro de conceitos e idealizações humanas.
Nell criou alguns em “Piano bar” e Leonardo, um de seus personagens nesse romance, criou outro, Patrícia. Não, não é metalinguagem, mas sim a idealização de uma paixão, uma paixão que contraria sua existência superficial e fútil.
Patrícia está quase sempre de costas para o seu público e, também, para Leonardo, dando assim ênfase ao mistério que a envolve – ou é ele quem cria esse mistério?
Patrícia toca piano e as teclas que fazem soar suas melodias também tocam a alma desse homem, transformando-o e confundindo-o.
Será a música a responsável por uma metamorfose da personalidade e da existência de Léo ou é a idealização da perfeição dessa mulher que transforma essa personalidade? Apesar de desconhecida, da invisibilidade de seu rosto, seu torso e o movimento de suas mãos fazem-no mergulhar em águas nunca antes desbravadas, já que seu mundo sempre resistira a toda e qualquer investida de novas emoções.
É a partir daí que se desenrola essa história, em que os encontros e desencontros acontecem de forma ora emocional, ora racional, com todas as nuances de incertezas a que tal relação se propõe.
Léo não é mais Léo e Patrícia não é mais Patrícia. Afinal, o que é identidade? Qual é a verdadeira identidade de cada um de nós? Será que a temos de fato? Se considerarmos as inúmeras histórias que vivenciamos durante nossa trajetória, concluiremos que, em cada uma delas, nosso comportamento se adultera, nossa personalidade muda, nossa identidade é colocada em dúvida.
Em O Processo, de Kafka, presenciamos a perda e a busca da identidade de Joseph K que, sendo processado por um crime indefinido, se submete às mais estranhas situações. Em O Estrangeiro, de Camus, Meursault, com sua indiferença em relação a vida e ao mundo, é transformado em um ser sem alma.
Encontramos, na grande literatura, muitos personagens com os mesmos dilemas, com as mesmas mutações de Léo. Talvez isso faça de “Piano bar” uma obra na qual, nós leitores, podemos nos identificar, vivenciando, por meio dos caminhos de Léo e Patrícia, nossos próprios caminhos, nossas contradições, nosso coração sendo interpretado pelo cérebro ou o cérebro invadido pelo coração

Informações Adicionais

Editora

Nº Páginas

302

Tamanho

14,8 x 21 cm

Autor(a)

Ranking

Avaliações

Não há avaliações ainda.

Seja o primeiro a avaliar “Piano Bar”