NOVAS ESTRATÉGIAS DE RECONHECIMENTO GEOGRÁFICO PARA 5570 MUNICIPIOS BRASILEIROS E 130 PAISES COM AEDES AEGYPTI

R$87,48

Autor(a): LOURENÇO SANTANA DA SILVA

Prazo de produção: até 7 dias úteis

Sinopse

No Brasil assim como em mais de 130 países o controle ao mosquito Aedes aegypti, ficou nessas últimas 03 décadas sendo discutida as estratégias de combate e controle ao mosquito, Aedes, somente por instituições que realizaram muitas pesquisas e soluções muitas delas bizarras, como a realizada pelo Ministério da Saúde onde chegou a criar folder e colocar dente no mosquito. Mas, desde a OMS, OPAS, Ministério da Saúde, Secretarias Estaduais e municipais em saúde, ainda não tiveram êxito porque ainda desconhecem o potencial do Aedes aegypti.
O mosquito Aedes aegypti é capaz de transmitir mais de 60 vírus na face da terra. Podemos controlar todos os agravos que hoje são transmitidos por ele (Febre amarela, Dengue, Chikungunya, Zica vírus). Mas, existem muitos mais vírus que podem transmitidos pelo Aedes aegypti.
A grande maioria dos municípios no Brasil e no nos países onde tem o Aedes, ainda não tem uma estrutura de base que possa compreender a dimensão do controle vetorial ao Aedes aegypti.
Estamos vivenciando a anos a era tecnológica e os gestores e trabalhadores desconhecem a metodologia empregada em 1854 pelo Dr. John Snow para controlar a cólera na Inglaterra.
Trabalha-se com material da idade da pedra para controlar um mosquito que existe a mais de 2.000 anos na face da terra.
Já utilizamos todas as espécies de veneno e nunca conseguimos controlar o mosquito. Ultimamente está-se utilizando o mosquito transgênico para o controle vetorial, o que pode causar outras anomalias a esse vetor.
E, na verdade todas essas estratégias estão verdadeiramente selecionando o Aedes aegypti para ser num futuro próximo um potencial inseto que poderá dizimar toda uma população onde for transmitida novas perspectivas de vírus.
É histórico que um predador quando infesta uma região nunca vai ser eliminado. Pois, o poder de adaptação do Aedes aegypti é tão foraz que desconhecemos ainda seu potencial de sobrevivência a todas as espécies de ataque que lhe foi atribuído até os dias atuais.
Podemos estar criando um mosquito Frankenstein que pode ser muito difícil de controlar. Se, não houver o bom senso das esferas que lidam com Aedes aegypti e reiniciarmos a construir uma base, uma estrutura. Pois, uma casa não se constrói sem estrutura de base. Por isso, estamos apresentando estas novas estratégia para mais de 130 países. O livro “Novas Estratégias de Reconhecimento Geográfico para 5570 municípios brasileiros e 130 países-membros”.
Novas estratégias que significam a disruptura com o modelo atual em busca da mudança sócio, econômica, cultural, epidemiológica, ecológica para um meio ambiente sustentável. Pois, já não basta falar sobre o mosquito Aedes aegypti, onde o mais importante é colocar a mão na massa e desenvolver projetos que de fato possa minimizar a dor do ser humano que já passou pelos agravos transmitidos por uns dos mosquitos mais letal da humanidade.
Produzir estatísticas sociais é uma forma de conhecer a realidade a partir de diversos ângulos.
A atividade destas Novas Estratégias de Reconhecimento Geográfico está baseada em vários conhecimentos, fundamentados nos conceitos da OMS, MS, John Snow, território de Milton Santos, A Arte da Guerra de Sun Tzu, Ivan Pavlov através da metodologia Pavloviana para controlar os agravos na Vigilância em Saúde.
Estamos trazendo esta discussão com estratégias multidisciplinares, interdisciplinares e transdisciplinares para termos uma visão holística sobre sustentabilidade do meio ambiente, sem utilizar qualquer espécie de veneno.
Este trabalho é o início da base para entrarmos na era tecnológica na Vigilância em Saúde.
Utilizaremos simplesmente o Boletim Diário de Campo para dar sustentação na estrutura de base no Sistema Único de Saúde (SUS) em todos os municípios para que os mesmos possam ter em mãos todas as informações sobre a atividade de Reconhecimento Geográfico dentro de seu território.
Alguém tem que ter a coragem de falar a verdade sobre a presença do Aedes aegypti em mais de 130 paises.

Informações adicionais

Peso 0,54417825 kg
Dimensões 21 × 29,7 × 1,17 cm
Nº Páginas

214

Capa

Fosco, SEM orelha

Data da Publicação

28/04/2022

Impressão

Preto e Branco (Papel Offset)

Tamanho

Editora

Autor(a)

Faixa Etária Recomendada

SEM CLASSIFICAÇÃO

Avaliações

Não há avaliações ainda.

Faça o login para Avaliar
NOVAS ESTRATÉGIAS DE RECONHECIMENTO GEOGRÁFICO PARA 5570 MUNICIPIOS BRASILEIROS E 130 PAISES COM AEDES AEGYPTI thumbnail

NOVAS ESTRATÉGIAS DE RECONHECIMENTO GEOGRÁFICO PARA 5570 MUNICIPIOS BRASILEIROS E 130 PAISES COM AEDES AEGYPTI

R$87,48