Como a Pandemia Mudou o Jornalismo

Os bastidores do conflito de interesses que a imprensa não investiga!

R$67,00

Autor(a): Claudio Odri
Saiba mais sobre o(a) autor(a): uiclap.bio/codri

Prazo de produção: até 7 dias úteis

Sinopse

Esse livro não pretende discutir tratamento, fármacos ou vacinas. A ideia que está por trás desse texto é o seu direito à melhor e mais atualizada informação disponível. O objetivo é que você esteja apto a tomar as decisões que achar mais coerente e adequada à sua realidade.

Esse livro traz uma série de perguntas e dúvidas que a Imprensa não teve. Ao abdicar da curiosidade que move o jornalismo, a mídia comprometeu sua atuação e entregou um produto ruim. Pior, ignorou fatos e tentou transformar narrativas em verdades.

Desde o início da pandemia, a imprensa adotou uma série de “dogmas” e trabalhou exaustivamente na sua difusão. Isto, apesar de outras informações estarem disponíveis. Os dias estão mostrando que ainda há muito mais o que ser discutido e revelado.

Você nunca estranhou ver e ouvir sempre os mesmos especialistas na TV? Nunca duvidou da maneira única de se pensar e enxergar o problema? Nunca ficou curioso para saber como outros países enfrentavam a pandemia? E os números, em diferentes regiões do planeta?

A falta de informações de fontes diversificadas, a ausência de debates e outras opiniões na imprensa são motivos de preocupação desse livro.

Nunca tivemos acesso a tanta informação e com tanta rapidez. Apesar disto, nunca estivemos tão mal informados. Isto parece ser o resultado da combinação estranha desses tempos de internet, redes sociais e um jornalismo em crise.

Nesse cenário, o pior dos mundos é conviver com a falta de informação ou a dúvida sobre sua veracidade e o rigor como ela foi apurada e checada. A pandemia levou todo mundo ao limite.

O mundo anda conflagrado. Há pouca tolerância com opiniões que desafiem as obviedades. Quando esse tipo de postura passa a dirigir a imprensa, algo não vai bem. Nunca esperamos muito dos políticos. Esperamos pouco de juízes e promotores. Mas da imprensa, esperamos sempre mais e melhor.

Esse livro levanta uma série de questionamentos sobre os procedimentos básicos que a imprensa ignorou. Ao fazer essas perguntas, pesquisar, checar notícias é possível entender, muito além da política mesquinha, que estamos numa crise de qualidade no trato com a informação. Maltratamos as palavras e comprometemos a capacidade de compreensão da realidade.



Ao pesquisar a pandemia, descobri uma série de fatos intrigantes. Desde um processo movido pela Comunidade Européia contra a OMS, até reportagens que expõem evidentes conflitos de interesses entre renomados pesquisadores e cientistas, pagos por grandes laboratórios e que aconselham governos nas suas estratégias de saúde.



Quando a imprensa põe em risco sua credibilidade, abdicando da dúvida e da curiosidade, assumindo versões como fatos, a audiência desconfia. Existem informações diferentes sobre temas polêmicos e elas não aparecem nos noticiários. Você não acha estranho todo mundo ter a mesma opinião sobre temas controversos como tratamento ou vacina? Nessas horas, redes sociais ganham relevância porque é por onde outras notícias circulam.



A perda do protagonismo da imprensa é uma realidade. Não há negócio no mundo que não tenha sofrido impacto com a chegada da internet. Ela, como a imprensa, é mãe de muitas virtudes e outros tantos vícios. Se a imprensa não traz os fatos, a tecnologia disponibiliza caminhos para buscá-los, onde quer que a curiosidade nos leve.

Seria um caminho virtuoso se as Big Tech, autoritariamente, não tomassem para si o direito de definir o que devemos ou não ver, ler ou assistir. Tempos estranhos e na contramão das liberdades individuais. Tempos perigosos quando algoritmos e fact checkers restringem a manifestação de opinião de eméritos cientistas ou definem o que é verdade.



Como disse anteriormente, esse livro não trata de política e nem de ciência, saúde ou medicina. Esse ensaio faz perguntas que o bom jornalismo deveria fazer para ser, de fato, qualificado e reconhecido como o Quarto Poder. Quando abre mão da dúvida e da curiosidade não presta um bom serviço e nega sua própria existência.

Informações adicionais

Peso 0.323323 kg
Dimensões 14 × 20.9 × 1.48 cm
Editora

Nº Páginas

276

Tamanho

Capa

Fosco, SEM orelha

Impressão

Preto e Branco (Papel Offset)

Faixa Etária Recomendada

SEM CLASSIFICAÇÃO

Data da Publicação

29/12/2021

Autor(a)

Ranking

Avaliações

Não há avaliações ainda.

Faça o login para Avaliar
Como a Pandemia Mudou o Jornalismo thumbnail

Como a Pandemia Mudou o Jornalismo

R$67,00